7 passos essenciais para montar um escritório de advocacia

Publicado em:

Muitos advogados têm um sonho de ter o próprio negócio. Trabalhar conforme suas diretrizes e valores traz realização pessoal. Porém, para montar um escritório de advocacia, é preciso ter conhecimento básico sobre gestão, finanças, captação de clientes e outros temas.

Pensando nisso, fizemos um breve passo a passo sobre o tema, contando as etapas mais essenciais para você abrir seu próprio escritório. Vamos lá?

Faça um planejamento estratégico para seu escritório de advocacia!

Qualquer empreendedor, seja da área jurídica ou não, deve realizar um planejamento estratégico antes de começar um negócio. Esse planejamento é um processo que considera as condições internas e externas do negócio, traça objetivos e seleciona as melhores ações para atingi-los.

Uma das etapas do planejamento estratégico é o plano de negócios. Ele envolve o levantamento de todos os dados necessários para a atividade, que é o exercício da advocacia. Setor financeiro, de marketing e de relacionamento com o cliente, tudo isso deve ser pensado.

Em suma, o plano de negócios possui três estratégias:

  • Organizacional: estruturação do escritório de advocacia em funções a serem desempenhadas;
  • Gerencial: tipos de ferramentas de administração que serão utilizadas (Ciclo PDCA, Análise SWOT etc.);
  • Marketing: formas de prospecção e fidelização de clientes.

Dentro de um bom planejamento estratégico para escritório de advocacia, estarão todos os passos necessários para começar o negócio.

1. Avalie o mercado

O primeiro passo para abrir um escritório de advocacia é avaliar o mercado para traçar uma estratégia condizente com o negócio. Muitas áreas estiveram em crescimento nos últimos anos, ao passo que outras foram em sentido contrário. Por este motivo, é preciso mapear as necessidades do local em que o escritório se inserirá.

Algumas perguntas podem ajudar nesta avaliação:

  • Qual a área de conhecimento do direito está em evidência neste local?
  • Há locais em que essas áreas são mais demandadas?
  • Qual o tamanho da concorrência no local de atuação?
  • Como tirar vantagem dos pontos fortes e fracos dos concorrentes?

A resposta a essas perguntas contribuem para a definição do foco de atuação do escritório de advocacia e direciona o empreendedor para a escolha do melhor local do seu negócio.

Após avaliação do mercado é preciso definir as áreas de atuação.

2. Defina as áreas de atuação

A análise de mercado confere uma boa ideia de qual área de atuação está em alta naquela localidade. Caso o advogado queira atuar em outro segmento que não aquele demandando, deve avaliar a viabilidade disso ou analisar outros mercados. De toda forma, é importante lembrar que o especialista possui mais mercado e é mais procurado pelos clientes do que os advogados generalistas.

Por este motivo, é impossível montar um escritório de advocacia sem investimento em qualificação. O Brasil é um dos países que mais possui advogados atuantes, e para se destacar em uma mercado tão inchado, a capacitação profissional é imprescindível.

Além de definir a própria especialidade de atuação, o advogado empreendedor deve escolher se abrirá um escritório de advocacia sozinho ou com outros sócios.  Caso opte por atuar em sociedade com outras pessoas, é possível que o negócio englobe mais de um segmento de atuação.  Você pode ser especialista em Direito de Família, e o seu sócio pode ser especialista em Direito Contratual, por exemplo.

3. Avalie todos os custos

Para abrir uma empresa no Brasil é preciso um alto investimento inicial, uma vez que é preciso arcar com os custos de infraestrutura física e de abertura de empresa junto aos órgãos públicos.

Registro de marca no INPI, obtenção de alvará na Prefeitura e no Corpo de Bombeiros, registro no CNPJ, na Junta Comercial, na Previdência Social, na Fazenda Estadual, na Caixa Econômica Federal e na OAB são algumas providências que possuem custos.

Além desses gastos, o empreendedor deve considerar a projeção dos custos de manutenção do escritório de advocacia. Energia, internet, aluguel, água, limpeza, condomínio, tributos e pessoal são apenas alguns deles.

4. Escolha o regime tributário ideal

Uma medida que possibilita a redução dos custos do empreendimento desde seu início é o planejamento tributário.  Este planejamento serve para avaliar qual o regime tributário mais adequado para o escritório de advocacia. Seu objetivo é reduzir legalmente a incidência de tributos sobre a atividade, aproveitando isenções e créditos fiscais.

Em outras palavras,  ele possibilita uma economia relevante que poderá ser aplicada em outras áreas do escritório. Caso o advogado empreendedor não possua conhecimento para realizar o planejamento tributário, deve contar com o auxílio de um colega.

5. Organize a prestação de serviços jurídicos

Após essa estruturação inicial do escritório de advocacia, a próxima etapa é organizar a prestação dos serviços jurídicos.  Ela é muito importante para atender às expectativas dos clientes, e possui três focos:

  • Atendimento comercial: é o primeiro contato com clientes, fornecedores e parceiros. Agendamento de reuniões e visitas ao escritório são comuns nesta etapa, e podem gerar a elaboração da proposta comercial.
  • Atendimento ao cliente: é preciso ter um advogado ou outra pessoa responsável para atender o cliente. Ela terá a função de resolver questões do cliente sobre seu processo, receber documentos da causa, agendar reuniões e outras tarefas.
  • Prestação jurídica em si: um escritório de advocacia pode ser separado em funções de prestação jurídica, como consultorias, estudo de casos, elaboração de peças processuais, pesquisa de jurisprudência e doutrina  e outras.

Basicamente, após essas 5 etapas, o escritório já está pronto para começar as atividades. Porém, o uso de tecnologia pode facilitar todo o processo de estruturação e acompanhamento do negócio, bem como de prestação de serviços.

6. Utilize tecnologia

Um escritório de advocacia que acompanhe as tendências tecnológicas é muito mais produtivo e organizado. Um negócio modernizado desde o início economiza tempo dos advogados e é mais eficiente, uma vez que não está tão sujeito a erros.

No mercado brasileiro, existem ótimos softwares jurídicos de gestão que ajudam o advogado a realizar um ótimo trabalho. Atualização legislativa, gestão financeira, acompanhamento processual, agendamento de reuniões são algumas tarefas desempenhadas por esse programas.

Veja como podemos ajudar o seu escritório a organizar rotinas e focar no que interessa: a advocacia!

Por estes motivos, investir em tecnologia é primordial para um escritório de advocacia.

7. Adotar o marketing jurídico para captar clientes

O marketing jurídico feito por um escritório de advocacia deve respeitar os limites do Código de Ética e Disciplina da OAB. Apesar de muitos empreendedores deixarem o marketing em segundo plano, ele é uma ferramenta essencial para a prospecção de clientes. Uma das principais formas de fazer publicidade na advocacia é o marketing digital.

Quando feito por um profissional com conhecimento técnico, o marketing pode trazer um ótimo benefícios para o escritório de advocacia. Em especial, mais credibilidade e bom posicionamento no mercado.

Seguindo essas estratégias, o advogado tem em mãos ótimas ferramentas para montar seu escritório de advocacia.