A advocacia antes e depois da jurimetria

Publicado em:

O mundo jurídico está mudando e disso ninguém discorda. A utilização da tecnologia tem impactado de maneira significativa a advocacia. Já se foi o tempo em que o advogado precisava dominar ferramentas como editor de textos e planilhas, esse momento já foi superado (ao menos deveria).

A advocacia contemporânea, especialmente a partir do advento do processo eletrônico, tem sofrido grande impacto da tecnologia e, em grande medida, se beneficiado disso.

Muito tem se falado sobre a inteligência artificial e o fim da advocacia. Obviamente, exageros oriundos de um entusiasmo por novas ferramentas em um setor que há pouquíssimo tempo atrás trabalhava com máquinas de datilografia e fichas em papel.

Exageros à parte, gostaria de abordar um tema que se desenvolve como uma forte tendência no mercado jurídico, com reflexos significativos na forma de atuar de muitos escritórios: a jurimetria. Segundo a ABJ (Associação Brasileira de Jurimetria), trata-se da “disciplina resultante da aplicação de modelos estatísticos na compreensão dos processos e fatos jurídicos.”

Significa dizer que a multidisciplinaridade passa, definitivamente, a fazer parte do mundo jurídico, ou seja, ciência dedicada ao estudo e compreensão da aplicação da doutrina e jurisprudência, identificando eventuais mudanças de paradigmas e novos posicionamentos de magistrados, apenas para ilustrar.

Obviamente que a jurimetria não se trata de uma ferramenta garantidora do sucesso, uma vez que cada processo possui as suas peculiaridades e os magistrados suas convicções, as quais podem mudar, a depender do exercício do causídico, dos fatos e provas constantes dos autos. De qualquer forma, sem dúvida, é uma ferramenta que transforma a realidade da advocacia, sobremaneira.

Assim, a jurimetria apresenta-se como uma ferramenta essencial para uma atuação mais assertiva do advogado, podendo auxiliá-lo em decisões estratégicas de cada caso como, por exemplo, optar por uma conciliação prévia ou partir para o enfrentamento contencioso, após a análise e identificação de padrões nas decisões de magistrados ou no comportamento padrão da parte adversa.

Além disso, trata-se de um estudo estatístico que permite ao advogado traçar cenários e estabelecer sua estratégia processual, podendo gerar um ganho de produtividade muito significativo.

A tomada de decisões, tendo em vista a análise do posicionamento repetitivo de juízes e até mesmo padrões de atuação da parte adversa, além do uso recorrente da doutrina e jurisprudência em sentenças e acórdãos de casos semelhantes, pode apontar tendências e colocar o advogado numa situação bastante privilegiada.

Este tipo de análise tornará a advocacia ainda mais competitiva e muito mais disputada. Tecnologias como esta exigirá capacidades diferenciadas do advogado, pois a disputa das demandas passará para muito além dos argumentos, convergindo para o campo da estratégia.

Imagine que para se conseguir identificar um padrão de sentença (sem o uso de qualquer ferramenta eletrônica) um advogado levaria muitos anos de trabalho diante de juízes determinados, além de muita dedicação e estudo para tal. Com a jurimetria, um sistema informático acessando bancos de dados do judiciário conseguirá analisar centenas ou milhares de sentenças, petições, decisões de todo o tipo e espécie, cruzando informações, identificando padrões e apontando tendências em minutos.

Desta forma, advogados iniciantes passam a ter acesso a uma inteligência que era restrita àqueles mais experientes, achatando, por assim dizer, a lacuna que até então existia neste campo. É óbvio que a tecnologia não substituirá a experiência, pois como dito anteriormente, será na estratégia processual que a disputa resultará e a experiência tem muito valor neste campo.

Não obstante a questão jurídica, o tempo de estudos de um advogado pode ser reduzido de maneira espantosa utilizando uma ferramenta nestes moldes, já que um sistema como este poderá fazer centenas de análises de dados velozmente, trazendo opções ordenadas em consonância com o interesse do operador. Isto sem falar na probabilidade de sucesso que será significativamente aumentada em virtude desta prática de análise estatística.

A advocacia mudou, mas o que vem por aí nos próximos anos representará um salto quântico em eficiência, acirrando ainda mais a cena mercadológica, e aqueles que não estiverem conectados a esse novo tempo, automaticamente, serão expurgados do mercado.

 

 

Valdemiro Kreusch Júnior é publicitário e MBA em Marketing pela Fundação Getúlio Vargas. Executivo de Marketing com mais de 15 anos de experiência, professor de pós-graduação e da ESA (Escola Superior de Advocacia da OAB/PR), sócio fundador da Éos Inovação na Advocacia, mentor de Inovação e criador do conceito Law Business Design.