fbpx

Blog

Advogado empreendedor: inovar para crescer

Publicado em:

Sem tempo para ler? Aperte o play abaixo e ouça o artigo!

Todos sabemos que o mercado jurídico brasileiro é muito competitivo. Houve redução nos postos de trabalho nesta área nos últimos anos. De acordo com dados de outubro de 2019 da OAB, existem 1,1 milhão de advogados no Brasil. Ou seja, um advogado para cada 190 habitantes, em média.

Por isso, cada vez mais, se torna necessário inovar, para garantir um lugar ao sol neste cenário. Os modelos tradicionais estão ficando para trás. A cada dia surgem novas ideias, tendências inovadoras e novos paradigmas. Essa transformação digital do mercado possibilita um novo perfil de advogado: o advogado empreendedor. E é sobre ele que falamos no post de hoje.

Advogado empreendedor: quem é?

Advogado empreendedor é aquele que tem visão de negócio e busca a inovação. Não necessariamente ele deve ter seu próprio escritório, porque é possível ser intraempreendedor. O intraempreendedor é o profissional em constante observação em seu local de trabalho, que busca a melhor maneira de fazer as coisas acontecerem. É por ele que ocorrem as melhorias contínuas e a maior qualidade na prestação dos serviços.

Características

Esse tipo de advogado possui algumas características que o definem. Veja:

  • Inovador: o profissional inovador é aquele que consegue criar soluções inéditas para atender às necessidades de seus clientes. Para tanto, conhece profundamente o perfil, os problemas e o comportamento do público-alvo. Em suma, é quem gera solução focada na perspectiva do cliente, o que faz com que ele se diferencie de outros advogados.
  • Automotivado: a automotivação é um sintoma de inteligência emocional.  O advogado empreendedor possui a capacidade de motivar a si mesmo, mesmo diante das dificuldades. É resiliente e lida de maneira saudável com os problemas e com as mudanças. Por isso, consegue contagiar sua equipe para que entregue seu melhor.
  • Estratégico: é o profissional que adota um pensamento sempre estratégico. Ele sabe que, para empreender, é necessário preparação e planejamento para garantir a viabilidade e a sustentabilidade do negócio. Por isso, traça de forma estratégica cada etapa de sua atuação, sempre com o pensamento visionário e inovador.
  • Ávido por conhecimento: é o profissional que está em constante aprendizado, porque sabe que o conhecimento pode levá-lo à inovação e ao desenvolvimento do negócio. Ele não se limita às habilidades técnicas do Direito e de áreas correlatas e pensa em habilidades comportamentais e emocionais.
  • Visionário: o advogado empreendedor enxerga oportunidades onde ninguém vê potencial. Ele consegue criar soluções diferenciadas, se destacar na saturação do mercado e vencer a concorrência, além de descobrir nichos ainda não atendidos e de se tornar autoridade naquele ramo.
  • Proativo: o advogado empreendedor possui um comportamento ativo. Ele não espera o cliente chegar, mas vai até ele. É ter iniciativa na hora de buscar oportunidades, respeitando sempre as regras do Código de Ética e Disciplina da OAB.

Como ser um advogado empreendedor?

Desenvolver essas características é um desafio para muitos profissionais. Mas é o caminho para ser um advogado empreendedor. Na prática, existem algumas condutas que podem ser adotadas para adquirir essas habilidades.

Aproveitar as possibilidades do mercado

As novas tecnologias, como a inteligência artificial e a automação, abriram novas possibilidades para o setor jurídico. Elas fizeram com que ocorresse o nascimento de um novo profissional do direito, um advogado especialista, que se destaca em um segmento específico.

Algumas áreas interessantes, como Compliance, Lei Geral de Proteção de Dados e direito societário, estão demandando bastante por profissionais especialistas nos temas. Se você é um advogado empreendedor, deve aproveitar as novas possibilidades que o mercado oferece.

Inovar com Legal Design Thinking

A aplicação do Design Thinking ao meio jurídico – Legal Design Thinking – é o retrato do advogado empreendedor, especialmente aquele super conectado à inovação trazida pela transformação digital. O objetivo do Design Thinking é resolver problemas complexos de pessoas e empresas de forma criativa, inovadora e empática. 

Aplicada ao Direito, é o processo de pensamento e criação inovadora que resolve os problemas do cliente jurídico, o que depende de compreender suas reais necessidades. Quer um exemplo de aplicação? Simplificar os processos dos fluxos de trabalho envolvendo softwares jurídicos e outras tecnologias otimizadoras da gestão.

Fazer networking contínuo

O networking na advocacia é uma forma de consolidar a carreira de um escritório ou profissional. O advogado empreendedor sabe que a estratégia de aumentar e fortalecer sua rede de contatos é fundamental para estabelecer parcerias, trocar experiências com outros profissionais e receber indicações.

Em outras palavras, o networking contínuo é parte da rotina do advogado empreendedor como estratégia para desenvolver seu negócio. Congressos, cursos, palestras e outros eventos jurídicos sempre estarão no calendário desse tipo de profissional.

Conquistar clientes com soluções inovadoras

Unir as características de inovação, visionarismo, proatividade e busca pelo conhecimento só pode resultar em uma coisa: soluções fora da caixa. O advogado empreendedor é um profissional que, intrinsecamente, apresentará soluções inovadoras para conquistar seus clientes. E isso se aplica aos atuais e aos potenciais.

Ele é capaz de criar produtos jurídicos singulares que atendem especificamente às necessidades de seus clientes. A análise de perfis, comportamentos e problemas é o ponto de partida. E é também uma forma de demonstrar cuidado e atenção com o público-alvo. Essa conduta transmite a sensação de credibilidade e autoridade, inclusive. Por isso, quem deseja ser um advogado empreendedor deve conseguir enxergar nas entrelinhas de cada cliente, antecipando problemas e soluções. Essa habilidade também está conectada a aproveitar as possibilidades que o mercado oferece.

Cuidar do marketing sem ferir o código de ética da profissão

O marketing jurídico, especialmente o digital, faz parte da vida do advogado empreendedor. Ele deve ser realizado dentro dos limites do Código de Ética e Disciplina da OAB e deve incluir estratégias de inbound marketing e outbound sales.

O Inbound Marketing é uma estratégia digital que desenvolve o relacionamento com potenciais clientes com geração e entrega de conteúdos relevantes. Para oferecê-los, o advogado pede em troca os dados de contato.

O Outbound Sales é a etapa que vem em seguida. Nela, é feito o contato com o potencial cliente para conhecer suas reais necessidades e, se for o caso, transformá-lo em um negócio.

O marketing jurídico é a melhor forma de ampliar a carteira de clientes e conseguir a sustentabilidade do negócio. Por isso, não é deixado de lado pelo advogado empreendedor.

Ser um advogado empreendedor é fundamental para se adequar ao mercado jurídico atual. É preciso inovar para crescer. Ser visionário e buscar conhecimento a todo o instante. Com ferramentas, como o Legal Design Thinking, é possível se tornar uma referência em sua área.

Quer ficar por dentro do que é o Legal Design Thinking? Escute o terceiro episódio do podcast Preâmbulo Play!