Advogados Programadores

Publicado em: Sem tempo para ler? Aperte o play abaixo e ouça o artigo!

Interdisciplinaridade. Essa sempre foi uma palavra importante para profissionais requisitados de qualquer campo de atuação. Ir além do seu conhecimento e entender as inovações que aparecem no ambiente de trabalho é uma característica que confere vantagem competitiva. E é neste sentido que vemos surgir os advogados programadores.

O avanço tecnológico no Direito é evidente no setor público e no âmbito privado. A cada dia, vemos novas legaltechs surgindo para resolver problemas jurídicos fundamentais da sociedade. E a presença de advogados programadores nas startups se torna mais comum. Confira alguns pontos sobre o tema no post de hoje!

Advogados programadores: uma tendência

As inovações não podem ser vistas como ameaças. E considerando que a tecnologia é  intrínseca à atividade jurídica atual, o melhor a se fazer para não criar receios infundados é compreendê-la. E se os advogados passassem a estudar programação?

No mercado jurídico, é improvável que um bom profissional se atenha a aprimorar somente seus conhecimentos técnicos em Direito. Existem muitas possibilidades de estudo para formar um profissional mais completo, o que podemos chamar de advogado 4.0. Gestão, empreendedorismo e programação são áreas que estão evidentes entre os profissionais do Direito.

Isso não significa que você deixará de lado sua profissão. O estudo de áreas que teoricamente não tangenciam sua área de atuação é complementar. Se outras carreiras fazem isso comumente, por que o Direito não pode sair do conservadorismo e adotar a mesma estratégia? Advogados programadores são aqueles que se abriram para conhecer e entender de programação. E isso não quer dizer que ele sairá por aí programando qualquer coisa.

A ideia central é saber que existe a aplicação de programação ao Direito, entender as possibilidades e seu funcionamento. É uma forma de ter argumentos relevantes na hora de prestar um serviço diferenciado ao cliente. Percebeu que um aplicativo do escritório pode melhorar o atendimento ao cliente? Com advogados programadores, a avaliação sobre lançar um novo app do seu negócio é mais precisa. Ainda que não consiga realizar o projeto, os conhecimentos servirão para guiar o profissional responsável e não ser enganado.

Em suma, advogados programadores têm um diferencial em sua carreira, já que a demanda pela compreensão sobre tecnologia tende a aumentar.

Atuação

Advogados programadores podem atuar em qualquer lugar onde já exerçam suas funções. A principal diferença é que ele será capacitado para pensar “fora da caixa”. Mas há uma tendência de grandes empresas, inclusive de tecnologia, passarem a procurar por este profissional, aliando os conhecimentos jurídicos e tecnológicos.

Um advogado que tem conhecimento em Corda, QLP e Hyperledger, que são algumas das linguagens mais populares de programação, tem bom mercado em empresas privadas, com boa visibilidade e salários satisfatórios. No Brasil, essa experiência pode garantir uma vaga no setor de inovação de grandes empresas que trabalham com blockchain, por exemplo.

Existe um movimento do mercado em ter times multidisciplinares, juntando programadores com funcionários da área de negócios e jurídica. O cerne da questão é deixar de pensar unicamente na tecnologia para, de fato, resolver problemas reais da empresa. Aliado ao conhecimento sobre programação, é certo que o advogado deve acompanhar as tecnologias emergentes, como Internet das Coisas, Big Data e Inteligência Artificial, para conseguir pensar novas soluções.

LawTechs

As LawTechs são startups jurídicas que criam serviços ou produtos que resolvem problemas cotidianos enfrentados pelos cidadãos e pelos profissionais de Direito. A Preâmbulo, por exemplo, é uma legaltech focada em desenvolver soluções para aprimorar a gestão jurídica de escritórios de advocacia e departamentos jurídicos e de cobrança.

Existem muitas outras startups que contam com advogados programadores em suas equipes para criar soluções efetivas para o mercado. O Direito não se contentou com Ross, primeiro robô-advogado da história, uma inteligência artificial que utiliza o supercomputador Watson, da IBM. Existem muitas outras soluções, como plataformas de acordos online e smartcontracts.

Acordos online

Imagine um grupo de advogados programadores e designers que tentam combater a morosidade do Poder Judiciário. Assim nasceu a Acordo Fechado.

A plataforma proporciona o diálogo entre empresas e advogados de forma descomplicada, proporcionando mais agilidade para o encerramento dos processos. Toda a negociação é feita de forma online, de modo a entregar bons resultados para os clientes. A ideia da plataforma é construir a melhor estratégia para se chegar a um acordo transparente, que seja bom para todas as partes.

Atualmente, a Acordo Fechado é utilizada por grandes escritórios de advocacia e departamentos jurídicos.

Blockchain

Blockchain é a tecnologia que possibilita guardar informações em bancos de dados. É, também, a linguagem criptografada que sustenta o lançamento de moedas virtuais (Bitcoin e outras). Apesar de ter ganhado projeção com a bitcoin, o blockchain abre portas para infinitas possibilidades.

E tamanha é sua importância que, no dia 11 de junho, durante uma sessão na Câmara dos Deputados, alguns deputados federais criaram o Projeto de Lei nº 3443/2019,  que visa obrigar o uso das inovações em tecnologia, como a blockchain, em todos os departamentos da administração pública brasileira.

O cerne do funcionamento da blockchain é guardar os dados de forma que fiquem seguros e inalterados no complexo mundo digital. Se você ainda não associou essa definição a um contrato, é porque não está tão antenado assim. Advogados programadores buscaram conhecimentos tecnológicos para entender como trabalhar com esses contratos inteligentes.

Esse documento une a linguagem legal com a programação, garantindo que as cláusulas acordadas sejam cumpridas pelas partes que assinarem o contrato. Em outras palavras, são autoexecutáveis, porque possuem termos contratuais traduzidos em um código, bastando que as condições sejam atendidas para que ele seja válido.

No mundo atual, os advogados programadores são profissionais muito cobiçados, que apresentam grande vantagem competitiva em relação aos tradicionais. Isso porque lidam diretamente com tecnologias emergentes, que podem solucionar diversos problemas cotidianos. Não à toa, grandes empresas de diversos segmentos estão procurando por formar times com pessoas de diferentes abordagens para melhorar a prestação dos serviços, investindo em inovação.

E aí, qual sua decisão? Você quer ser apenas mais um técnico jurídico ou ampliar seus horizontes e se tornar multidisciplinar? Conte para a gente suas experiências!

Please follow and like us: