Controle financeiro: você está fazendo certo?

Publicado em:

No início de 2018, você estabeleceu metas financeiras para seu escritório de advocacia. Para tanto, os objetivos estabelecidos no ano anterior foram analisados, elaborou-se um desenho da estrutura financeira, com as projeções de gastos e faturamentos, dentre outras práticas. Porém, ainda que o planejamento tenha sido bem feito, ele só será concluído se houver controle financeiro.

Especialmente em um escritório em crescimento, o controle das finanças é fundamental para alocar investimentos que possibilitam o desenvolvimento do negócio. Veja se você está procedendo de forma correta para isso!

Reavalie o planejamento se necessário

O planejamento financeiro é a primeira etapa do controle. Quando ele foi estabelecido no início do ano, considerou todos os fatores que, naquela época, eram relevantes. Possivelmente, eles se mantiveram conforme a projeção, mas a oscilação do mercado jurídico diante de novos acontecimentos é natural.

Por isso, para fazer um controle financeiro corretamente, o primeiro passo é reavaliar se o planejamento elaborado ainda vale. A partir da análise do fluxo das finanças, do funcionamento do escritório e de seus objetivos, as estratégias são traçadas. Avalie se elas precisam ser revistas para que possibilite um melhor controle e ajude o escritório a crescer.

Controle o fluxo de caixa

Não existe controle financeiro sem controle de fluxo de caixa. Não é possível ter uma visão completa das finanças sem monitorar receitas e despesas, o que inclui os gastos operacionais, o acompanhamento das custas processuais, a emissão de notas fiscais, o recebimento de honorários e outras movimentações.

Quando não há controle de recebimento de receitas e na administração do capital de giro, prejudica-se a saúde financeira, que é a base do crescimento do escritório. É um indicativo de que há algum erro na gestão jurídica.

Lembre-se de que o controle de fluxo de caixa pode ser trabalhoso, porque envolve as despesas mais simples (material descartável, cafezinho, limpeza etc.) e as mais complexas (despesas à atuação jurídica em si).

Somente com a visibilidade sobre essas informações financeiras é que se torna possível estabelecer metas e objetivos financeiros, cortar gastos supérfluos ou secundários e avaliar qual área precisa de mais ou menos investimento.

Adote o pró labore

O controle financeiro do escritório depende de evitar a saída repentina de recursos, já que isso influenciaria negativamente no planejamento. Na abertura do escritório, é normal que os sócios pretendam ter uma remuneração maior do que perceberiam se fossem advogados no escritório de terceiros. Isso acontece com o crescimento do negócio, mas é preciso ter cautela.

Em situações de necessidade, quando não há a adoção de pró-labore, pode acontecer de um sócio retirar recurso financeiro investido no escritório. Apesar de esse ser um erro basal, ainda é muito recorrente. Por isso, é interessante estabelecer o pró-labore para os sócios que atuam no escritório, de forma a manter o equilíbrio financeiro do negócio, sem prejuízo aos possíveis investimentos e compromissos assumidos com as despesas rotineiras.

Elabore relatórios gerenciais

Relatório gerenciais e estratégicos são uma ferramenta essencial para o bom controle financeiro do escritório. Por meio deles, é possível ter uma visão mais ampla de como o planejamento das finanças está sendo realizado, o que permite aos gestores tomar decisões mais rápidas e assertivas acerca da condução dos negócios.

Utilize um sistema jurídico integrado com o financeiro

O tempo de utilizar planilhas de Excel para fazer controle financeiro já passou. Preencher milhares de dados de forma manual aumenta a chance de erros, que formam um “efeito cascata” nas ações dependentes dessas informações.

Por isso, a adoção de novas tecnologias no escritório de advocacia confere vantagem competitiva ao possibilitar mais precisão na hora de gerir o negócio. O software jurídico é uma dessas ferramentas que são, atualmente, indispensáveis. Tudo o que foi apontado para realizar um bom controle financeiro pode ser feito por meio dele.

Um sistema jurídico que possui integração com o financeiro permite ao escritório gerenciar o administrativo e o jurídico juntos, acompanhando as custas processuais. O CPJ-3C, da Preâmbulo, possui esta integração, disponibilizando aos clientes análises de DRE, fluxos de caixa, Business Intelligence e criação de relatórios personalizados, além de gerar boletos e notas fiscais eletrônicas.

 

Quer aprimorar sua administração no escritório? Saiba como o CPJ-3C pode contribuir com seu financeiro e com toda a gestão jurídica do seu negócio!