Departamentos jurídicos apostam em Inteligência Artificial para cortar gastos com escritórios de advocacia

Publicado em:
    o

  • por Maurício Kavinski

Evidentemente, poucas equipes jurídicas internas tem o tempo ou a energia, para rever manualmente milhares de notas, e itens que são enviados em relatórios periódicos pelos escritórios terceirizados. Muito menos para classificar tendências, detectar padrões, procurar anomalias e desvios. Nas organizações, os serviços do jurídico externo quase sempre são vistos como uma “caixa preta”.

Pensando nesse problema, bancos, companhias de seguros e empresas em todo os EUA e Reino Unido, apostaram na plataforma de inteligência artificial “Outside Counsel Insights (OCI)” da IBM WATSON,  para cortar seus custos e avaliar os serviços prestados por seus advogados.

A equipe por trás da plataforma informou que, quando o sistema de inteligência de dados da IBM Watson avalia o custo de uma empresa com a contratação de escritórios de advocacia, consegue chegar a uma redução de custos de até 30%. E ainda que essa redução seja menor, a simples utilização do sistema cria uma evidência para que as empresas consigam negociar com os escritórios serviços mais eficazes, e uma mudança na forma do faturamento, de hora para valor fixo.

Para avaliar o a eficiência e os gastos das empresas com os escritórios, a IBM utilizou o Watson aplicando a mesma metodologia utilizada na área médica, onde milhares de relatórios de sintomas e tratamentos foram pesquisados, para extrair padrões que poderiam proporcionar um melhor aconselhamento para o paciente. O mesmo padrão de busca, foi utilizado para avaliar os custos com o pagamento de horas trabalhadas pelos advogados. Milhares de faturas de prestação de serviços foram entregues à IBM pelos grandes bancos e companhias de seguros, ao longo de um período de testes de dois anos. De posse desses dados, a equipe de Watson descobriu padrões que ajudaram a revelar o quanto ineficientes foram os escritórios de advocacia em certas áreas.

Mas mais do que isso, como a análise foi informada pelas diretrizes da empresa, e como o sistema usou o processamento de linguagem natural (PNL) para ler cada palavra de texto, o sistema pode identificar, muito rapidamente, onde o escritório se desviou das orientações que recebeu. O resultado trouxe à tona a ineficiência e a incompetência de determinados advogados, tudo ficou dolorosamente transparente.

O OCI trouxe muito mais transparência ao relacionamento escritório x departamento. E dessa transparência foi possível obter maior compreensão de como o trabalho é produzido e faturado. Isso por sua vez deu às equipes internas os dados e a confiança para exigir uma melhor composição de custos e menos ineficiência. Mas, é errado pensar que o OCI só será utilizado para forçar uma redução de custos com escritórios de advocacia. O objetivo da IBM é uma mudança muito mais sistêmica. “Nosso objetivo (na IBM) é capacitar aqueles que procuram serviços jurídicos. Queremos dar-lhes confiança na exigência de honorários fixos “, afirma Brian Kuhn, Global Leader of IBM Watson Legal.  Pode-se imaginar, que a curto prazo os escritórios de advocacia não estarão muito felizes com o trabalho da IBM. Mas, usando tecnologia semelhante, eles também poderão analisar situações nas quais potencialmente poderiam cobrar mais pelo que os clientes consideram como um trabalho de maior valor, bem como eliminar ou rever áreas e processos, nas quais os custos não permitem obter a margem de lucro esperada. O resultado final pode ser uma mudança sistêmica no mercado legal, como vem sendo discutido há anos, mas desta vez com uma chance real de acontecer.

Com os departamentos jurídicos utilizando ferramentas como o OCI –  ou outras como o premonition – para avaliar a performance e eficiência dos escritórios, esses por sua vez, terão que buscar sistemas de Inteligência Artificial para proteger suas margens de lucro. Para isso, a IBM disponibiliza ferramentas como o ROSS (sistema de pesquisa orientada a IA), e seu software de PNL, para revisão de documentos.

Essa prática chegará rapidamente ao mercado jurídico brasileiro? O tempo dirá, mas os departamentos jurídicos daqui certamente estão interessados e a IBM Watson disposta a ampliar o seu mercado. Por sua vez, os escritórios de advocacia também começam a receber uma enormidade de soluções para auxiliar no seu trabalho.

Acompanhe nossos próximos artigos, onde falaremos mais sobre as novidades na área de tecnologia jurídica.

 

Obs. Esse artigo é uma tradução livre e adaptada do artigo “IBM Watson’s Inhouse AI App Will Change the Legal World (If It Catches On…)”, publicado em Artifical Lawyer.