8 dicas de planejamento financeiro para escritórios de advocacia

Publicado em:

Já estamos quase em 2020. É o limite do momento de iniciar os planos para o ano que vem. E o planejamento financeiro para escritórios de advocacia é um deles. Em um mercado tão competitivo quanto o jurídico, que possui um advogado a cada 190 habitantes, planejar é preparar o terreno para crescer e se destacar.

A ideia principal do planejamento financeiro para escritórios de advocacia é organizar as finanças, evitando que o negócio sofra com falta de verba para investimentos no futuro. Ele também garante o acompanhamento de movimentações diárias e estipula metas financeiras rumo ao crescimento.

Quer saber como fazer um bom planejamento financeiro para escritórios de advocacia? Separamos 8 dicas infalíveis. Confira!

Avalie e estabeleça seu orçamento

O primeiro passo para um bom planejamento financeiro para escritórios de advocacia é avaliar e estabelecer seu orçamento. Você deve, inicialmente separar as despesas do escritório das despesas pessoais. Misturar o caixa do negócio com o caixa pessoal é um tiro no pé, mesmo que sua estrutura seja de empresa familiar. Isso pode ocasionar dívidas e perda do controle financeiro do escritório

Como é possível ter visão sobre o lucro real, os resultados de investimentos e a situação do negócio se as despesas estão misturadas? Impossível. Estruture seu financeiro separando os caixas. Estabeleça pró-labore para o(s) sócio(s), mantenha as contas do escritório e dos sócios separadamente.

Em seguida, avalie seus custos fixos e variáveis. Identifique suas despesas, inclusive tributos. Com esse cálculo básico, você terá um parâmetro da saúde financeira do seu negócio. Isso envolve diretamente o controle do fluxo de caixa.

Controle o fluxo de caixa

Você registra todas as previsões de entrada e saída? Possui modelos de precificação dos seus serviços? Se sim, já deu um grande passo para realizar o controle do fluxo de caixa. Essa medida é essencial em um planejamento financeiro para escritórios de advocacia, especialmente por dois motivos específicos:

  • Possibilita ter uma visão completa das finanças, pois monitora receitas e despesas, incluindo gastos operacionais, acompanhamento de custas processuais, recebimento de honorários, emissão de notas fiscais e outras movimentações.
  • A visibilidade das informações financeiras é o que torna possível cortar gastos supérfluos ou secundários, avaliar as áreas que demandam mais investimento e estabelecer metas e objetivos financeiros.

Apesar de o controle de fluxo de caixa ser trabalhoso, por envolver despesas simples e complexas, é a base do crescimento do escritório e evita erro na gestão jurídica.

Defina objetivos e metas

Todo planejamento tem objetivos e metas. A partir deles, traça-se um plano de ações que possibilita atingi-los. Por isso, o planejamento financeiro para escritórios de advocacia depende de você definir quais são seus objetivos e metas, a curto, médio e longo prazo.

Seu objetivo pode ser expandir o negócio, aumentar honorários, ou lucrar mais com os contratos (entre outros, claro). Veja um passo a passo rápido, com o exemplo de uma meta de maior lucro:

  1. Analise seu atual plano e as metas financeiras desenhadas para este ano;
  2. Pense na projeção de gastos, o tempo e o modo dos investimentos;
  3. Planeje seu faturamento, considerando o orçamento e o fluxo de caixa;
  4. Estabeleça uma meta de lucro para o ano, considerando seu ponto de equilíbrio (lucro igual a zero);
  5. Inclua sua meta na estrutura de gastos, como se fosse um pagamento mensal;
  6. Desdobre sua meta de faturamento em metas mensais para cobrir todo o seu planejamento. 

Faça uma boa gestão de investimentos

À medida em que o escritório cresce, o gestor lida com algumas demandas. Modernização, aumento ou reestruturação do escritório, Investimentos em equipamentos e infraestrutura, contratação de pessoal, dentre outras consequências. E tudo isso envolve gastos.

Por isso, uma prática fundamental no planejamento financeiro para escritórios de advocacia é realizar uma boa gestão de investimentos. Gastar recursos sem planejar é uma ótima forma de perder dinheiro. Para que isso não aconteça, o gestor deve garantir que haverá um retorno para a sociedade. E como fazer isso?

Uma das formas é a análise SWOT, que identifica forças e fraquezas (âmbito interno do escritório), oportunidades e ameaças (âmbito externo). Com ela, é possível evitar que os investimentos não tenham o retorno previsto. Em consequência, você preserva seu capital capital de giro, que são recursos reservados para a sobrevivência do escritório mesmo sem a entrada próxima de receitas. 

Preserve seu capital de giro

Preservar seu capital de giro é um indicativo de boa saúde financeira. Esse capital é fundamental para qualquer empresa, e isso inclui o escritório de advocacia. Ele permite ao advogado oferecer condições diferenciadas de pagamento de honorário, aumentando sua margem de negociação com clientes. É um passo importante para a fidelização, inclusive.

Neste ponto, você deve ter um cuidado: o capital de giro deve crescer junto com a sociedade. Sua cartela de clientes cresceu? Aumente seu capital de giro. Desse modo, você não compromete a sustentabilidade do seu negócio.

Tenha verba para emergências

O planejamento financeiro para escritórios de advocacia serve para resguardar seu negócio ao máximo. Mas a vida é imprevisível. Uma instabilidade no mercado financeiro, uma política brusca que provoca mudanças sociais profundas, tudo isso pode afetar seu escritório.

Por isso, você precisa ter uma verba para emergências que o possibilite enfrentar eventuais crises. As mudanças podem afetar seu negócio, e o advogado deve estar preparado para altos e baixos. Em outras palavras, você deve planejar diferentes cenários para se precaver.

Acompanhe o planejamento com métricas de desempenho

Como saber se o planejamento financeiro para escritórios de advocacia deu certo? Com o uso de métricas para acompanhar o progresso em direção aos objetivos e metas traçados. Monitore os KPIs (indicadores-chave de desempenho), especialmente rentabilidade, lucratividade e liquidez corrente. Se necessário, revise e ajuste seu planejamento.

Tenha um software com financeiro integrado

Lidar com as finanças é lidar com um alto volume de informação detalhada. Sem visibilidade desses dados, é impossível tomar boas decisões. Por isso, ter um software com financeiro integrado, como é o caso do CPJ-3C, é uma prática fundamental para seu planejamento.

Ele auxilia no controle de fluxo de caixa, diminuindo drasticamente as chances de erros de lançamento e análise. A integração das informações facilita o trabalho do gestor e dos advogados, que veem facilmente as movimentações internas e de clientes. É uma grande vantagem competitiva.

Com essas dicas de planejamento, você está pronto para realizar uma gestão financeira impecável. Com o auxílio da tecnologia e de um software integrado, você pode ir além e melhorar toda a sua gestão.

E não esqueça: a ausência de um planejamento financeiro para escritórios de advocacia pode trazer muitos problemas. Falência e falta de recursos para investimentos são apenas alguns deles. Veja outros!